Finalidade

Blog de divulgação de assuntos geográficos, políticos, acadêmicos, curiosos...

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Michel Temer pode cair! O Golpe pode cair! A democracia vai vencer...

Já era sabido, pelos setores progressistas da sociedade (leia-se esquerda e não nome de partido), de que a tomada do poder, por um grupo elitista, oportunista e reacionário era golpe evidente, uma vez que a Presidenta Dilma não havia cometido crime algum e, de fato, as manobras realizadas para atender aos anseios do povo, pela viabilização de pagamentos dos programas sociais, não passava de "furar o sinal vermelho cuja punição foi pena de morte". Com as manchetes de hoje, 23 de maio, que tratam de todo o processo de constituição do golpe, constatados nas conversas de Jucá com Machado (vide análise), fica evidente que as artimanhas e maracutaias só têm um fim: o de tirar um governo legitimamente eleito para se safar dos crimes de várias ordens, cometidos pela grande maioria daqueles que votaram para que acontecesse o impeachment.



A articulação foi feita sob medida. Tentaram empurrar o Aécio, mas ele perdeu por sua própria inanição. Perdeu em seu próprio estado de lavada e, como disse Jucá, "é incompetente para ganhar um pleito". Como a candidatura dele saiu pela culatra, mesmo com o apoio de todos os setores conservadores da sociedade, como "mídia-judiciário-Fiesp-fraudes em pesquisas de opinião", o revide passou a ser no momento em que o TSE publicou o resultado das eleições.

Naquele momento, a parte da população que perdeu as eleições não aceitou o resultado democrático do pleito. Revides e recursos de todas as ordens foram providenciados até que, de fato, cunharam o processo de impedimento. Houve, como observamos no diálogo, um caminho plantado sob medida, com a eleição de Eduardo Cunha, para a construção do impedimento.

Enfim, depois de todo o circo criado, Temer assumiu e, ao invés de fazer um governo de continuidade, como era obvio em um processo de exceção (ele não era vice?), a intervenção foi à fórceps, colocando os mais corruptos para Ministros. Mas não era contra a corrupção????

Com essa bomba, não há como o golpe ter sucesso. Houve uma demonstração evidente de como as articulações realizadas pela direita (PMDB, PSDB, PP e outros) e extrema direita (DEM, PR e outros) tinha como objetivo frear um processo de perseguição à corrupção (implantada por Lula e Dilma e não realizada por eles, como diz a mídia golpista), de frear as políticas sociais e de retomar o poder, que lhe foi tirado democraticamente em 2002 e que, via o voto popular, são incompetentes para atingi-lo. Pois, enfim,  como dizia Milton Santos, a elite deste país não quer direitos, mas quer privilégios.


COMPARTILHE EM SUA REDE

Ricardo Luiz Töws

Doutor em Geografia pelo PGE-UEM - Programa de Pós-Graduação em Geografia, membro do GEUR - Grupo de Estudos Urbanos e do Observatório das Metrópoles - Núcleo R.M.M. Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR Campus Avançado Astorga).
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

PUBLICIDADE

Postagens populares

BIBLIOTECAS

Copyright @ 2013 Prof. Ricardo Töws . Designed by Templateism | Love for The Globe Press