Finalidade

Blog de divulgação de assuntos geográficos, políticos, acadêmicos, curiosos...

Últimas postagens

Ver mais artigos

sexta-feira, 29 de julho de 2016

LIVRO CRÔNICAS DA RESISTÊNCIA É LANÇADO COM CARTA DE DILMA ROUSSEFF

No dia 28 de julho de 2016 foi lançado o livro "Crônicas da Resistência 2016:  Narrativas de uma Democracia ameaçada, organizada por Cleusa Slaviero (Editora Compactos) com a participação de 83 autores, cujas crônicas e manifestos podem ser conferidos no livro. O evento foi uma festa em que muitos puderam manifestar suas angústias e demonstrar a vontade e a luta em recuperar aquilo que foi usurpado: a nossa jovem democracia! E Fora Temer!!!!



O nosso livro foi divulgado em várias mídias sociais: deu no GGN, no Diário do Centro do Mundo, no Blog do Esmael, Qualé Digital e muitas outros meios que viabilizam a informação, de fato, e não a desinformação, como faz a mídia tradicional.

Tivemos a honra de receber uma carta da nossa Presidenta legitimamente eleita, Dilma Rousseff, cujo conteúdo agora divulgo:

O evento contou ainda com maravilhosas apresentações de João Bello e seu grupo, além de depoimentos de diversos autores! 
Agradeço a todos, em especial à Cleusa Slaviero pela oportunidade de participar disso tudo! 

Para mais informações e aquisição do livro, contacte a editora pelo e-mail: cleusaslaviero@hotmail.com 


domingo, 10 de julho de 2016

O Ciclo da Água para Crianças


O Serviço Geológico dos Estados Unidos (em inglês, U.S. Geological Survey, conhecido pela sigla USGS) e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (em inglês, Food and Agriculture Organization, instituição conhecida pela sigla FAO) uniram-se para criar um diagrama didático e divertido sobre o ciclo da água, voltado para crianças do ensino básico.

Baixe o diagrama em tamanho maior - PDF  


Fonte: Suburbano Digital 

quarta-feira, 6 de julho de 2016

MAS NÃO ERA PELA CORRUPÇÃO, PELOS IMPOSTOS, PELA IGREJA, PELA... E PRA SALVAR O PAÍS DA CRISE? É GOLPE!!!

Meus amigos,


Em minhas viagens e trajetos demorados acabo tendo poucas alternativas audíveis e, por isso, em algumas delas, aperto o botão do rádio que geralmente está sintonizado na CBN. Acabo por ouvir poucas coisas boas como depoimentos de Viviane Mosé, por exemplo, cujo livro “A escola e os desafios contemporâneos” estou lendo e recomendo, mas a maioria é o que há de mais reacionário, como Sardenberg, Mirian Leitão, Arnaldo Jabor e todo o lixo jornalístico que é disponibilizado gratuitamente e intencionalmente. Por esses vieses, acabei por ouvir as análises econômicas sobre o (des)governo golpista Temer e suas estratégias de recuperação de economia. Ouvi que o Sinistro da Fazenda está a propor medidas de austeridade e sinaliza para o aumento de impostos. Não demonstrou perspectiva da redução das taxas de juros, sobretudo SELIC e aponta para a corrosão estrutural do Sistema Único de Saúde (SUS) e Educação. Apontou ainda que o déficit orçamentário pode ultrapassar R$ 170 Bi, o que desencadeará estratégias austeras sobre os investimentos, sem incomodar setores como a dívida dos estados e o salário daqueles que usam togas e controlam a legislação. Por fim, se escutei certo, querem privatizar tudo, a torto a e direito, como uma das medidas de cobrir os gastos da máquina pública e enxugar o Estado. Pois bem! Do outro lado da cortina de fumaça, lembrei que os pedidos de impedimento da Presidenta Dilma estava ancorado em jargões injustificáveis (pois não há crime para impedimento), como por exemplo:
- O país precisa crescer, pois o PT quebrou o país e o rombo nas contas públicas ultrapassa R$ 90 Bi e não podia ser aprovado pelo congresso: ora, mas R$ 170 Bi pode?!?
- Não pode fazer concessões, a infraestrutura é precária: Fazer concessões para que empresas ajudassem a administrar equipamentos e obras do Estado não pode, já privatizar tudo e entregar de mão beijada para o capital privado a troca de quinquilharias pode?!?
- Tem que acabar o Mais Médicos, pois está mandando nosso dinheiro “pra Cuba”: O Programa Mais Médicos, que tinha por objetivos resolver a demanda dos pequenos municípios e das populações deprimidas não podia, porém, manda-los embora e enriquecer o cartel da medicina corporativa e dos grandes planos de saúde pode?!?
- O governo Dilma não investiu em Educação e os funcionários públicos do judiciário estão defasados: O Programa de criação e ampliação da Rede Federal de Educação Científica e Tecnológica, que abriu a torneira de recursos para a viabilização de uma educação para o mundo social do trabalho não foi considerado investimento (querem o dinheiro público no Sistema S), mas aumentar o salário do judiciário em mais de 40% em período de “pseudocrise” pode?!?
- O retorno do imposto do cheque é uma afronta, pois não podia né, levando os oportunistas, como o presidente da FIESP, por exemplo, a servir filé mignon aos “manifestantes” de verde amarelo e a construir o pato da vergonha; ou ainda a classe média e alta a bater panelas nas janelas dos edifícios de luxo; ou os playboys saírem com suas "empregadas" nas manifestações de domingo à tarde; agora ver o anuncio das medidas de aumento de imposto no governo golpista não tem problema, ninguém vai às ruas!
Então meus amigos, cada dia está mais evidente que o golpe, travestido de impedimento, não tem outro fim senão entregar nosso país nas mãos dos conservadores, defensores da moral e dos bons costumes, que não conseguem ver os pobres terem direitos e alcançarem seus espaços em um mundo e país cada vez mais segregador e preconceituoso. Deveríamos nós fazer a oposição agora e convencer os Senadores da República de quão complexo será deixar a democracia sair pelo ralo e ver os direitos e conquistas dos trabalhadores simplesmente “desmancharem no ar”. Convencê-los (já sabem mas não querem ouvir) de que o golpe não é só pelo fim da corrupção (o contrário né) e pra “salvar a crise”: É pra interromper a cidadania e a democracia! É para que os pobres e trabalhadores deste país parem de ter vez, voz e.... dignidade!



quarta-feira, 29 de junho de 2016

CONVITE PARA LANÇAMENTO DO NOSSO LIVRO "CRONICAS DA RESISTÊNCIA 2016"

Está chegando a hora. Contagem regressiva.
Coletânea reúne crônicas contra o golpe parlamentar brasileiro
Os recentes acontecimentos da política brasileira apontam uma característica peculiar: a participação massiva da população. Além dos protestos de rua o país assistiu a uma intensa discussão sobre o presente e o futuro de nossa democracia.
Para que o debate se aprofunde no campo das ideias, a editora ComPactos lança em julho o livro "Crônicas da resistência 2016 – Narrativas de uma democracia ameaçada”. A obra reúne reflexões de intelectuais, jornalistas, professores, economistas, cientistas políticos, historiadores, artistas, escritores e profissionais de várias áreas, são brasileiros de todas as regiões do país e do exterior que se posicionam contra a ruptura institucional representada pela deposição da presidenta Dilma Rousseff.
“O ataque à democracia cometido pela oposição exige de cada cidadão uma postura clara de defesa das instituições. A honra de nossa República está em jogo na diplomacia internacional. Com este livro, pretendemos adensar o debate procurando aclarar alguns pontos discordantes, servindo como um contraponto à mídia convencional”, afirma Cleusa Slaviero, organizadora do livro.
[Texto retirado da Fanpage de Cleusa Slaviero]

Agradeço por fazer parte disso tudo!


CAPES ABRE EDITAL PARA SUBMISSÃO DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL PROFISSIONAL (MINTER PROFISSIONAL) NACIONAIS E INTERNACIONAIS

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulga nesta segunda-feira, 20, a abertura de prazo para submissão de Mestrado Interinstitucional Profissional (Minter Profissional) nacionais e internacionais. Acesse o edital completo do programa.
O Minter Profissional é turma de mestrado profissional conduzida por uma instituição promotora nas dependências de uma instituição de ensino e pesquisa receptora, localizada em regiões, no território brasileiro ou no exterior, afastadas de centros consolidados em ensino e pesquisa.
O projeto para turmas de Minter Profissional podem ser apresentados por programas de pós-graduação de Mestrado Profissional nacionais recomendados e reconhecidos com nota igual a 5. A instituição promotora será responsável por garantir o nível de qualidade das atividades de ensino e pesquisa desenvolvidas por seu programa de pós-graduação na instituição receptora. O Minter Profissional visa maior contribuição desta modalidade para o desenvolvimento econômico e regional.
Prazos
O período de submissão para esta modalidade será no período de 20 de junho a 19 de julho de 2016.

Podem participar da seleção universidades, instituições de ensino, centros de pesquisa, públicos e privados. Os Projetos de Minter Profissional devem ser enviados à Capes pelo Pró-Reitor de pós-graduação no Programa Promotor ou autoridade equivalente, exclusivamente por meio da Plataforma Sucupira.
Saiba mais sobre o Minter/Dinter.


segunda-feira, 27 de junho de 2016

CNPQ ANUNCIA 252 NOVOS INSTITUTOS NACIONAIS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

O CNPq anunciou em maio, com 14 meses de atraso, o resultado do edital de seleção dos novos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs), um dos programas mais ambiciosos e estratégicos de estruturação da pesquisa científica no país. De um total de 345 propostas submetidas, 252 foram selecionadas para receber financiamento. Agora só falta um detalhe: o dinheiro!


Segundo a nota divulgada pelo CNPq, negociações estão em curso com a Capes, Finep e agências de fomento estaduais para levantar os recursos necessários para implementação dos projetos selecionados. “Outros organismos, públicos ou privados, que desejarem aportar recursos também poderão participar”, diz o comunicado. As negociações vão até 11 de julho.

O edital, lançado em junho de 2014, previa um aporte total de R$ 642 milhões, conforme noticiou este blog na ocasião: CNPq lança o maior edital de sua história: R$ 642 milhões para os novos INCTs. Esperamos que o golpe não atravanque também este setor, já que todos os setores que servem às pessoas estão sendo sucumbidos. 

Os projetos aprovados abrangem uma enorme diversidade de temas, como terapia gênica, câncer, biodiversidade, mudanças climáticas, nanotecnologia, astrofísica, engenharia de materiais, segurança na internet, insetos da Amazônia, e por aí vai. A lista completa pode ser vista aqui: http://goo.gl/gZTNPr.

Os INCTs são institutos virtuais, formados por redes de pesquisadores que colaboram entre si de forma organizada para pesquisar determinados temas e/ou desenvolver novas tecnologias.


Fonte: Estadão

domingo, 26 de junho de 2016

DIA DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA

Dia 26 de junho é comemorado o Dia do Professor de Geografia, diferente do Dia do Geógrafo, que é 29 de maio. Os dois profissionais atuam de forma sincronizada em algumas áreas, porém, cabe ao Professor de Geografia a atuação no processo de ensino-aprendizagem. Desse modo, sua atuação perpassa o conhecimento e técnicas sobre o território e o espaço habitado, pois a análise tem a ver com a aprendizagem das pessoas que, a partir deste contato, tenham maior conhecimento de mundo, incorporando suas relações sociais e ambientais. Por isso, a mensagem que quero deixar hoje, além de parabenizá-los pelo dia, é homenageá-los pela função que exercem na sociedade, de produzir reflexões e conhecimentos sobre os processos ambientais, sociais, políticos, culturais, espaciais, entre outras variáveis, que tirem nossos estudantes da confortável zona de alienação social e produza militantes e agentes na construção de uma sociedade mais justa, pois, inserindo-me, nossa função está longe de possuir neutralidades e imparcialidades, como quer parte de nossa sociedade ultraconservadora. 



quarta-feira, 22 de junho de 2016

CASA ARRUMADA É ASSIM

Imagem e crônica adoráveis. 

Em especial, a imagem provocou uma espécie de nostalgia, ao fazer-me lembrar dos meus 11 anos de idade, na Chapada dos Guimarães (MT), aos meus 18, nas visitas às aldeias indígenas do Sul do Mato Grosso do Sul e ainda aos 20, na Serra da Mantiqueira (MG)... Mas igualmente lembrei dos assentamentos que visitei em Assunção (Paraguai) e de lugares encantadores no Nordeste! Por isso, compartilho com vocês: 

Casa arrumada é assim:

Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.

Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.


Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas…

Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo:
Aqui tem vida…


Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.

Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.


Sofá sem mancha?

Tapete sem fio puxado?

Mesa sem marca de copo?

Tá na cara que é casa sem festa.

E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.


Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.


Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto…


Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.


A que está sempre pronta pros amigos, filhos…

Netos, pros vizinhos…

E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia.


Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.


Arrume a sua casa todos os dias…

Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela…

E reconhecer nela o seu lugar.


Do portal Raízes [Retirado do Perfil do Facebook de Cleusa Slaviero]
(O texto é atribuído, em várias fontes na internet, como sendo de Carlos Drummond e outras fontes dizem que é de Lena Gino. Não podemos precisar com dados de registro na Biblioteca Nacional. Se você souber com precisão, por favor, entre em contato conosco. Obrigado).

Você também pode gostar de: 


REVISTA MUNDI [IFPR] LANÇA CHAMADA DE ARTIGOS PARA PUBLICAÇÃO EM DIVERSOS DOSSIÊS TEMÁTICOS


A Revista Mundi do Instituto Federal do Paraná (IFPR) abre chamada para Publicação de Artigos em diversas áreas do conhecimento. 

O periódico recebe permanentemente artigos em português, inglês e espanhol para a composição de suas edições eletrônicas semestrais. Todos os trabalhos enviados à revista são submetidos a pareceristas conceituados, a fim de que sejam avaliados de modo imparcial pelo método duplo cego. Os artigos devem ser enviados por meio da plataforma http://periodicos.ifpr.edu.br/, onde também se encontram as diretrizes para os autores.




Áreas e Eixos de Publicação: 

Educação profissional – aspectos conceituais, políticos, econômicos, sociais e pedagógicos

Além dos trabalhos gerais, sob demanda contínua, a Mundi também aceita artigos para seus dossiês temáticos específicos. No momento, está aberto o período para submissão de trabalhos acerca do tema Educação profissional – aspectos conceituais, políticos, econômicos, sociais e pedagógicos, com previsão de publicação em dezembro de 2016. O prazo para submissão para a seção temática é até 31 de agosto de 2016. Para os artigos gerais, a revista está permanentemente aberta para submissão.


Dossiê Temático: Qualidade de vida



Além dos trabalhos gerais, sob demanda contínua, a Mundi também aceita artigos para seus dossiês temáticos específicos. No momento, está aberto o período para submissão de trabalhos acerca do tema Qualidade de vida, com previsão de publicação em dezembro de 2016. O prazo para submissão para a seção temática é até 31 de agosto de 2016. Para os artigos gerais, a revista está permanentemente aberta para submissão.


Dossiê Temático: Resíduos: descarte, contaminação ambiental, reciclagem e uso agrícola.



Além dos trabalhos gerais, sob demanda contínua, a Mundi também aceita artigos para seus dossiês temáticos específicos. No momento, está aberto o período para submissão de trabalhos acerca do tema Resíduos: descarte, contaminação ambiental, reciclagem e uso agrícola, com previsão de publicação em dezembro de 2016. O prazo para submissão para a seção temática é até 31 de agosto de 2016. Para os artigos gerais, a revista está permanentemente aberta para submissão.



Dossiê Temático: Iniciativas, possibilidades e o Novo Marco Legal para a Ciência, Tecnologia e Inovação


Além dos trabalhos gerais, sob demanda contínua, a Mundi também aceita artigos para seus dossiês temáticos específicos. No momento, está aberto o período para submissão de trabalhos acerca do tema Iniciativas, possibilidades e o Novo Marco Legal para a Ciência, Tecnologia e Inovação, com previsão de publicação em dezembro de 2016. O prazo para submissão para a seção temática é até 31 de agosto de 2016. Para os artigos gerais, a revista está permanentemente aberta para submissão.

[PRORROGAÇÃO DE PRAZO] Congreso Iberoamericano de Estudios Territoriales y Ambientales - CIETA VII




Congreso Iberoamericano de Estudios Territoriales y Ambientales 
Noviembre 1 al 4 de 2016
Manizales (Colombia)


El Congreso Iberoamericano de Estudios Territoriales y Ambientales (CIETA) tiene por objetivo promover el intercambio entre investigadores interesados en el estudio del territorio y del ambiente, provenientes de las diversas instituciones de los países latinoamericanos e ibéricos.
El primer evento se organizó en el año 2003 por iniciativa de colegas de la Universidad de Morelos (México) y del Instituto de Geografía Tropical (Cuba). El I y II CIETA, organizados por el Departamento de Geografía de la Facultad de Arquitectura y Urbanismo, se celebraron en Cuernavaca (México). El III CIETA fuerealizado en Acapulco (México) en el año 2008, bajo la dirección de la Unidad de Ciencias de Desarrollo Regional (UCDR) de la Universidad de Guerrero.  El IV CIETA fue organizado por la Universidad de Mérida (España) en el año 2010. El V CIETA, realizado en La Habana (Cuba) en mayo de 2012, tuvo como organizador al Instituto de Geografía Tropical. El VI CIETA tuvo lugar entre los días 8 y 12 de septiembre de 2014 en el Departamento de Geografía de la Facultad de Filosofía, Letras y Ciencias Humanas de la Universidad de San Pablo
(Brasil).

Mayor información y pre-inscripciones:

http://www.humanas.unal.edu.co/cieta/


sábado, 18 de junho de 2016

Após percorrer 38 cidades em um ano, fotógrafo lança livro sobre o Mais Médicos: 'é um manifesto humanista', diz

'Importância do programa é essa: o velhinho cruza com o médico na rua, toca nele e diz que está dando resultado o tratamento. É o contato direito, ter ali o porto seguro', conta Araquém Alcântara

É um manifesto humanista, mais do que um livro de fotografia. É assim que Araquém Alcântara, um de nossos maiores fotógrafos de natureza — ele prefere ser chamado de fotógrafo brasileiro — qualifica a última publicação que lançou. O livro Mais Médicos é um registro do programa do governo federal que levou mais de 18 mil médicos a 4 mil municípios do País. “Eu queria ir a esses lugares onde o Estado está chegando pela primeira vez”, conta Alcântara, em seu escritório na Vila Olímpia, zona oeste de São Paulo. “Eu sei como é, minha infância foi assim. Meus pais, analfabetos, nunca foram a médico nenhum”.
Fotos: Araquém Alcântara

Segundo o texto de apresentação do livro, escrito pelo ex-ministro da Saúde, Arthur Chioro, cerca de 63 milhões de brasileiros passaram, somente agora com o Mais Médicos, a contar com a atuação de equipes de Saúde da Família com a presença de médicos, que garantem 80% dos problemas de saúde da população antes que se tornem graves.
Alcântara percorreu 19 estados e 38 cidades durante um ano. Foi a lugares ermos, onde nunca havia tido a presença de um médico. “As comunidades se sentem brasileiras, amparadas pelo Estado. É impressionante, você vê a presença do Estado — que é o que falta no Brasil. Foi nesse aspecto que eu quis fazer esse ensaio, para registrar essa transformação no País”. A logística da viagem foi bancada pelo governo federal.
O fotógrafo tem 46 anos de profissão e já publicou 49 livros, mas ainda vibra com cada imagem ao folhear sua última publicação: “Olha esse índio, olha esse peitoral, isso é África total! Esse é meu País! Um Brasil que ainda não foi descoberto, em 2015!”.
Araquém vai pinçando algumas histórias, como a da médica cubana que descobriu que o foco de esquistossomose em Igreja Nova, Alagoas, era causado pelos canais de irrigação dos arrozais. Ou então a do paciente velhinho, em Manaus, vítima de hanseníase, sem uma das pernas e com os dedos das mãos atrofiados.  Apaixonado pela médica cubana que o atende, escreve diversos poemas em sua homenagem.  
Na Ilha do Marajó, no Pará, uma médica cubana faz as vezes de assistente social e conselheira. Diante de um bebê nascido com paralisia e uma mãe viciada em drogas, reuniu a família, redistribuiu as tarefas e delegou ao tio a responsabilidade de tratar da doença do sobrinho.
O roteiro de Araquém não ficou apenas na floresta. No Rio de Janeiro, o fotógrafo se encontrou com o médico João Marcelo Goulart, neto do ex-presidente João Goulart, que trabalha na favela da Rocinha. “Teve todo um esquema para liberar a nossa entrada. Passamos por vários caras armados, são os donos do pedaço. Triste”. Na favela, foram à casa de uma mulher que, em surto de esquizofrenia, matou a facadas o marido.  
“A importância do Mais Médicos é essa: o velhinho cruza com o médico na rua, toca nele e diz: está dando resultado o tratamento. É o contato direito, ter ali o porto seguro”, diz Alcântara.
As fotografias do livro serão expostas em diversas mostras, dentre elas uma em Havana, Cuba, e outra em Genebra, Suíça, na sede da Organização Mundial de Saúde.
--
Publicado originalmente pela Revista Brasileiros . Fonte: OperaMundi

UFBA CRIA PROGRAMA DE BOLSAS MILTON SANTOS VOLTADO À GRADUAÇÃO E PÓS

Recursos virão de doações da viúva do geógrafo
De UFBA e GELEDES 
Estudantes de graduação e de pós-graduação da Universidade Federal da Bahia poderão se beneficiar com bolsas de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado, financiadas com recursos do Programa de Bolsas Milton Santos. A cerimônia, que aconteceu na antessala do Gabinete do Reitor, contou com a assinatura do Termo de Doção pelo Reitor João Carlos Salles e pela viúva do professor Milton Santos, Sra. Marie-Hélène Tiercelin Santos, que doará os fundos para o financiamento de 10 bolsas de Iniciação Científica, 3 bolsas de Mestrado e 1 bolsa de doutorado, sendo que 5 delas sempre serão destinadas à área de Geografia.
A finalidade é estimular estudantes a desenvolverem sua vida acadêmica, rememorando e mantendo viva a trajetória do geógrafo e intelectual baiano Milton Santos e incentivar o campo dos estudos sobre espaço, sociedade e cidade.  Os beneficiados deverão desenvolver pesquisas, de diversos campos, mas que apresentem como problemática de trabalho questões referentes à cidade, à urbanização, ao espaço, ao território, à globalização, à geopolítica, à ecopolítica e à cidadania.
Serão disponibilizados mensalmente à UFBA a quantia de R$ 13.000,00 (treze mil reais), durante 5 anos, passíveis de renovação, devendo haver uma avaliação anual da experiência do programa com apresentação pública dos trabalhos desenvolvidos. Além disso, eles deverão também constituir um fundo de reserva, utilizando R$ 2.300,00 (dois mil e trezentos reais) mensais, destinados ao apoio e à participação dos bolsistas em eventos acadêmicos regionais e nacionais de relevância para a área de estudos. Os recursos seguirão as normas de bolsas da UFBA.



Comitê gestor
O processo de seleção para concessão das bolsas ficará a cargo de um comitê formado pela Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade Federal da Bahia que é composto pelos seguintes membros: Ana Fernandes (Faculdade de Arquitetura), que exercerá a sua presidência pelo período de 01 (um ano); Maria Auxiliadora da Silva (Instituto de Geociências); Angela Maria de Almeida Franco (Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos); Charbel El-Hani (Instituto de Biologia) e Joice Pedreira Neves (Faculdade de Farmácia, representando a Pró-Reitoria de Pesquisa, Criação e Inovação).
O professor Milton Santos
O programa será possível graças aos recursos de aposentadoria deixados pelo professor à sua esposa, Marie-Hélène Tiercelin Santos.  Milton Santos dedicou sua vida à elaboração de conceitos que pudessem transformar as próprias formas do pensar, reconfigurando as questões relativas à cidade e à urbanização, ao espaço, ao território. Esses conceitos problematizaram a realidade dos países então chamados de subdesenvolvidos, a partir de uma intrínseca relação com as conformações sociais e espaciais promotoras  de desigualdades e delas resultantes. Mas a sua obra ia além da identificação de problemas, buscando, ao elucidá-los, estruturar outras formas para sua abordagem e compreensão intelectual.
Sem nunca abandonar suas raízes brasileiras e nordestinas, Milton Santos se viu obrigado a deixar o Brasil logo após o golpe militar de 1964. Instalou-se na França, onde atuou como professor convidado nas universidades de Toulouse, Bordeaux e Paris-Sorbonne, e no IEDES (Instituto de Estudos do Desenvolvimento Econômico e Social). Em 1971, aceitou convites fora da França, tendo passado pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology – Boston) como pesquisador; e como professor convidado nas universidades de Toronto (Canadá), Caracas (Venezuela), Dar-es-Salam (Tanzânia) e Columbia (New York).
Retornando ao Brasil em 1977, Milton Santos enfrentou dificuldades para se reinserir no ambiente acadêmico. A UFBA, de onde foi demitido por “ausência”, durante a ditadura, o reintegrou aos seus quadros em 1995. No período que antecede a isso, ele deu aulas na UFRJ e tornou-se professor titular da USP em 1983, onde lecionou até sua aposentadoria.


terça-feira, 14 de junho de 2016

IFPR (CAMPUS ASTORGA) LANÇA NOVO EDITAL COM 03 VAGAS PARA DOCENTES. SALÁRIOS PODEM CHEGAR A R$ 5.000,00

O Campus Astorga do Instituto Federal do Paraná lança novo Processo Seletivo para contratação de Docentes substitutos nas áreas de Ciência da Computação, Ciências da Saúde/Fisioterapia e Letras (Português e Espanhol). A remuneração mensal é de R$ 2.814,01 e, dependendo da titulação, pode ser acrescido de até R$ 2.329,40 em uma jornada de 40 horas semanais. Interessados podem acessar o Edital N.57/2016 - PROGEPE,  com todas as orientações sobre o certame







domingo, 12 de junho de 2016

CASA RUY BARBOSA LANÇA COLEÇÃO BIBLIOTECA BÁSICA BRASILEIRA

No dia 9 de junho, às 18hs, a Casa de Rui Barbosa sediou o lançamento da Coleção Biblioteca Básica Brasileira, projeto editorial desenvolvido em parceria com a Fundação Darcy Ribeiro, a Fundação Biblioteca Nacional e a Editora da UnB - Universidade de Brasília. O lançamento foi composto de mesa de debates com Lia Calabre, Paulo de F. Ribeiro, Godofredo de Oliveira Neto, Ana Arruda Callado e Cláudio Murilo Leal.
Formulado por Darcy Ribeiro em 1963, a Coleção tem como base os temas gerais definidos pelo antropólogo e reúne obras literárias e também científicas produzidas no Brasil e sobre o Brasil a partir do século XVI. O download das 50 obras disponíveis é livre, basta cadastrar-se no site! Saiba mais em http://bit.ly/1U4hfvU

França declara que novos telhados devem ser cobertos com plantas ou painéis solares



Texto de Natt Naville em Mistura Urbana
Uma nova lei foi aprovada recentemente na França, onde exige que todos os novos edifícios que são construídos em zonas comerciais devem ser cobertos parcialmente de plantas ou painéis solares, os famosos telhados verdes.
Os telhados verdes têm um efeito isolante, que ajuda a reduzir a quantidade de energia necessária para aquecer um edifício durante o inverno ou arrefecer no verão. Eles são capazes de reter a água da chuva e reduzir problemas com o escoamento, e também oferecer aos pássaros, um lugar para chamar de casa dentro da selva urbana.
Diversos ativistas ambientais franceses, queriam fazer uma lei que fizessem com que os telhados verdes cobrissem toda a superfície de todas as novas coberturas. No entanto, telhados parcialmente cobertos pode ser um começo, e um enorme passo do que precisa ser feito corretamente.
Alguns dizem que será realmente melhor, pois dará aos empresários, a oportunidade de instalar painéis solares para ajudar a fornecer aos edifícios fontes de energia renovável.
Os telhados verdes já são muito populares na Alemanha e Austrália, bem como na cidade de Toronto no Canadá. Lá, a lei foi aprovada em 2009, onde obrigou os novos edifícios residenciais e industriais a terem telhados verdes.
Diversos são os benefícios dos telhados verdes, além da beleza natural, eles contribuem com o meio ambiente, ajudando na gestão de águas pluviais, atuam como filtros naturais, também ajudam a melhorar o sistema de ventilação, fazem um excelente trabalho de capturar poluentes, filtram gases nocivos, abrem espaços para novas áreas de lazer e hortas comunitárias, além de expressarem claramente o amor ao meio ambiente, e dar um refresco nas selvas de pedras.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

VIII SIMPGEO DIVULGA TERCEIRA CIRCULAR E SITE

A comissão organizadora do VIII Simpósio Paranaense de Pós-Graduação em Geografia (SIMPGEO) divulga nova circular com informações mais completas do evento, a ser realizado pela Unioeste no Campus de Marechal Cândido Rondon (PR). 

Texto do site do evento:

O SIMPGEO é um evento que reúne a comunidade dos Programas de Pós-Graduação em Geografia do Estado do Paraná. Constitui um espaço para discussões e reflexões de temas relacionados a Ciência Geográfica em sua mais ampla expressão.

Esse espaço, desde 2006, quando a Universidade Estadual de Maringá - UEM sediou o I SIMPGEO, tem proporcionado excelentes oportunidades para a realização de debates sobre as grandes temáticas da Geografia e para a congregação de pesquisadores, professores e estudantes de pós-graduação do Paraná.

Mantendo essa perspectiva, as três edições seguintes foram realizadas nos anos de 2007, 2008 e 2009, respectivamente na Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE campi de Francisco Beltrão e Marechal Cândido Rondon).

A partir de 2010, o evento passou a ser bianual e o V SIMPGEO foi realizado em Curitiba, sob a organização da Universidade Federal do Paraná (UFPR). A partir dessa edição, passou a ser denominado "Simpósio Paranaense de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia".

O VI SIMPGEO, realizado em 2012, ocorreu em Guarapuava, no Campus da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), sob a temática "Ciência, sociedade e tecnologia na perspectiva da análise geográfica". O último SIMPGEO foi realizado no ano de 2014 na cidade de Maringá, no Campus da Universidade Estadual de Maringá, e o tema do encontro foi "Multidisciplinaridades na pesquisa geográfica contemporânea".

Ao longo de uma década, o SIMPGEO tem consolidado o desejo inicial de integrar as várias áreas e grupos da comunidade geográfica do Estado do Paraná.

Em 2016, para a comemoração dos 10 anos dos SIMPGEO, o Programa de Pós-Graduação em Geografia da UNIOESTE, Campus Marechal Cândido Rondon está preparando o VIII SIMPGEO onde propõe discutir questões relacionados "As fronteiras da ciência geográfica: avanços e possibilidades".


Mantendo-se a tradição, o evento manterá a estrutura de outras edições e constará de uma Conferência de Abertura, Grupos de Trabalhos (GTs), Mesas Redondas, Fóruns de Discussão, Plenária e Trabalhos de Campo. Ocorrerá entre os dias 09 a 12 de novembro, na cidade de Marechal Cândido Rondon – Paraná.

Mais informações sobre o evento podem ser acessadas no site do VIII SIMPGEO




quinta-feira, 9 de junho de 2016

IFPR LANÇA NOVO CONCURSO PÚBLICO COM 158 VAGAS EM DIVERSAS ÁREAS E CARGOS. SALÁRIOS PODEM CHEGAR A R$ 9.000,00

O Instituto Federal do Paraná torna público, nesta quinta-feira (9), o Edital nº 15/2016, referente à abertura de Concurso Público para preenchimento de 158 vagas, sendo 41 para o cargo de professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) e 117 para os cargos de Técnicos Administrativos em Educação (TAE), no intuito de suprir a demanda por servidores em suas 25 unidades. Dependendo da carreira e titulação, o salário, com benefícios, ultrapassa R$ 8.639,50. 

Fonte: IFPR
“Esta política de gestão de pessoas se consolidou nos últimos anos, no Instituto Federal do Paraná, no esforço contínuo de garantir serviço público de qualidade à sociedade paranaense”, afirma o Pró-Reitor de Gestão de Pessoas, Valdinei Henrique da Costa.
Segundo Valdinei, a Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progepe) tem consolidado a política de realização de um concurso por ano em diálogo com os campi, com objetivo de promover o fortalecimento e a consolidação de todas as unidades na política de pessoas. “Ou seja, melhores serviços à comunidade e atendimento às finalidades da instituição: o ensino, a pesquisa e a extensão no atendimento de nossos estudantes e a demanda por cursos nas diversas regiões do Paraná”, conclui o pró-reitor.
As inscrições poderão ser realizadas a partir das 10h do dia 15 de junho, até as 23h59 do dia 14 de julho de 2016, por meio do portal da Cetro Concursos.
O edital e respectivos anexos estão disponíveis na página da Progepe. Em caso de dúvidas, deve-se entrar em contato pelo e-mail atendimento.progepe@ifpr.edu.br ou telefone (41) 3595-7602.

Fonte: IFPR

A corrupção no Brasil naturalizada e desmascarada

Refleti nesses últimos dias sobre o termo ‘corrupção’, tão arraigado nas membranas das células midiáticas e dos conservadores que querem o poder pelo poder. De fato, a utilização corriqueira do termo, acusatório e vexatório, diga-se de passagem, reflete a clara intenção de cumprir a famosa frase de que “a melhor defesa é o ataque”. Assim faz a mídia, cujos DARFs não têm coragem de mostrar à sociedade e cujas campanhas são escancaradamente reveladoras de elementos escusos e assim procedem os verdadeiros corruptos e corruptores desta nação.
Lembrei de fotos e campanhas vinculadas às diversas mídias e redes sociais de moralistas que se exibem ao lado de ídolos e “fortalezas” jurídicas bem como de fatos inverídicos sobre a tal ‘corrupção’, como por exemplo, o deputado Bolsonaro ao lado do “Japonês da Federal”, o Senador Agripino Maia, fazendo campanha alegando que “O Brasil não aguenta mais a corrupção do PT”, jogadores de futebol com camisetas com a frase “a culpa não é minha,  votei no Aécio", pastores como Malafaia dizendo que “não conhece pessoa mais honesta do que Eduardo Cunha” e parte dos coxinhas pedindo “Joaquim Barbosa Presidente”, dentre outros. No ataque, falam do “petrolão”, do mensalão do PT e de outros esquemas, cujo fim abjeto é tirar o poder das mãos do Partido dos Trabalhadores. No fim, o que vemos é que o “Japonês da Federal” está preso por corrupção; Agripino Maia é réu e desviou dinheiro de estádios da Copa; Aécio é citado inúmeras vezes (construiu aeroporto no quintal de casa, governou MG das praias do RJ, enfim, enfim, enfim) e, nas palavras de Sérgio Machado será “o primeiro a ser comido (...) todo mundo sabe dos esquemas do Aécio”; Eduardo Cunha está abaixo da crítica nesta análise quando o tema é corrupção, desvios e achaques e Joaquim Barbosa, que comprou um APÊ de 1 Milhão e fugiu do leão.  Não vou concentrar nos demais, sobretudo ligados ao PSDB, DEM, PR, PP e Solidariedade, cujo cerne da existência partidária é a própria corrupção e a utilização do Estado e da máquina pública como extensão do quintal de suas casas e plantas de suas empresas.
De fato, a envergadura do golpe de Estado em curso no Brasil e sua correlação com os diversos setores visam alterar o rumo e o azimute das políticas públicas para que elas deixem de ser públicas imediatamente e voltem ao seio dos coronéis e exploradores deste país. O resultado é a regressão da democracia ao nível do átomo bem como o encolhimento dos direitos dos trabalhadores e de quem, de fato, constrói e produz o Brasil. Em suma, é a volta do preconceito, das disparidades sociais, da xenofobia e de todas as demais fobias, que agora podem ser pregadas tranquilamente nos púlpitos das instituições, igrejas e demais organizações empresariais, desde que iniba a livre manifestação do pensamento não neutro nas escolas e universidades. Por isso, a partir do compartilhamento do companheiro Ezequiel, republico a análise de Leonardo Boff intitulada de “A corrupção no Brasil naturalizada e desmascarada”:


Arte: Latuff

É estarrecedora a corrupção que se constatou no Brasil nos últimos tempos, especialmente aquela do “petrolão”, vale dizer, ligada a uma das maiores petroleiras do mundo, a Petrobras do Brasil. Os números são sempre pelos milhões de dólares que escandalizam e vão além de qualquer bom senso, mesmo entre ladrões e mafiosos.
Os organismos norte-americanos de vigilância que espionaram a Presidenta Dilma, espionaram também a Petrobras, devido ao fato de deter uma das maiores jazidas de gás e petróleo do mundo, que se encontra o Pré-Sal. Alertaram as autoridades policiais brasileiras que começaram a investigar. Encontraram uma teia imensa de corruptores e corruptos que envolviam grandes empreiteiras, altos funcionários da Petrobras, gente do próprio Governo, doleiros e não ausentes setores do judiciário. Beneficiados foram especialmente políticos de quase todos os partidos (e há exceções louváveis) que financiavam suas custosas campanhas eleitorais com esse dinheiro da corrupção, sob forma de propinas milionárias.
Desde o início, as investigações que envolveram os principais órgãos da justiça e da polícia foram viciadas por um componente político. Focalizou-se particularmente, um partido, o PT que estava no poder e que seus opositores queriam, seja pela via legal da eleição ou por qualquer outro expediente ao arrepio da normalidade democrática, alijá-lo do poder. Os vazamentos, problemáticos em termos legais, praticamente se concentraram no PT relevando e até ocultando o envolvimento de outros partidos, máxime da oposição. A partir daí se criou praticamente uma generalização (de si injusta porque recobre membros corretos, diria em sua grande maioria, nas bases partidárias dos municípios) de que corrupção era coisa do PT. Importa reconhecer que o partido se beneficiou dos esquemas de corrupção e até foi um dos principais articuladores. Mas seria injusto considerar que detinha o monopólio da corrupção. Essa é endêmica na vida política e social do país e perpassa partidos e empresas e inclui muitíssimos cidadãos ricos, seja sonegando altas somas de impostos, seja escondendo grande parte de suas fortunas em bancos estrangeiros ou um paraísos fiscais.
Raramente em nossa história recente temos assistido grandes empresários sendo presos, interrogados, condenados e encarcerados. A corrupção que se havia naturalizado nos mais altos estratos dos negócios e na política começou a ser desmascarada e posta sob os rigores da lei. Tal fato constitui um dado de altíssima relevância e um avanço no sentido da moralidade pública.
Mas para sermos realistas e não moralistas, não podemos reduzir a corrupção a este evento nefasto do “petróleo”. Não se pode ocultar o fato de que o sistema do capital com sua cultura é em sua lógica também corrupto, embora aceito socialmente. Ele simplesmente impõe a dominação do capital sobre o trabalho, gerando riqueza sob a forma de exploração do trabalhador e devastação dos escassos bens e serviços da natureza. Produz uma dupla injustiça, uma social e outra ecológica, esta última atualmente ameaçadora do equilíbrio do sistema-Terra e do sistema-vida. Thomas Piketty em seu “O capitalismo do século XX” deixou claro que lá onde entram relações capitalistas logo surgem desigualdades que tencionam a sociedade e fragilizam a democracia que supõe uma igualdade básica de todos face à lei e os direitos garantidos com inclusão social.
As nossas formas de corrupção possuem raízes históricas no colonialismo e no escravagismo, em si violentos, que levavam as pessoas, para manterem um mínimo de liberdade, a corromper-se e a corromper. Inventou-se o famoso “jeitinho”. Há também uma base política no arraigado patrimonialismo que não distingue o público do privado e leva as elites a tratarem a coisa pública como se fosse sua e a montar um tipo de Estado que lhes garante os privilégios. Tudo isso gerou uma cultura da corrupção, como algo natural e intrínseco à vida social e política. Os corruptos são vistos como espertos e não como criminosos, o que de fato são.
Filosoficamente pensando, qual é a raiz última da corrupção? Talvez o católico Lord Acton (1843-1902) que era historiador e pensador nos ajude. Diz ele: a corrupção reside fundamentalmente no poder. Sempre citada é sua frase: “o poder  tem a tendência a se corromper e o absoluto poder corrompe absolutamente”. E acrescentava: “meu dogma é a geral maldade dos homens portadores de autoridade; são os que mais se corrompem”. A tradição filosófica e psicanalítica nos tem persuadido de que em todos os seres humanos há sede de poder e que o poder não se garante senão buscando ainda mais poder. E o poder se materializa no dinheiro. Quanto mais dinheiro, mais poder.
Para consegui-lo não vale só o trabalho honesto, mas perversamente todas as formas que permitem multiplicar o dinheiro, quer dizer, assegurar mais e mais poder. A história mostra a ilusão desta pretensão. De repente pode-se perder tudo e ficar na miséria. Se não tivermos controlado nossa sede de poder e de acumulação, sentimo-nos perdidos.  O antídoto a essa sede de poder e de dinheiro é a honestidade, a transparência e a salvaguarda do valor sagrado da auto-dignidade. Por que não fazem isso, os corruptos se revelam desprezíveis e infelizes.
Será que saberemos tirar essas lições da corrupção naturalizada no Brasil e que finalmente foi desmascarada?

Publicidade

Postagens populares

BIBLIOTECAS

Copyright @ 2013 Prof. Ricardo Töws . Designed by Templateism | Love for The Globe Press